Archive for the ‘PERNAMBUCO’ Category

PROJETOS CULTURAIS: PERSPECTIVAS E INCENTIVOS

abril 28, 2009

Políticas de Gestão Cultural, leis de incentivo e programas de fomento para Projetos Culturais. Este é o enfoque da Palestra Projetos Culturais: perspectivas e incentivos, que será realizada no auditório do SENAC – PE, no dia 26 de Maio de 2009, às 19 horas. A entrada é 1 (um) quilo de alimento não-perecível.

Voltado para um público diverso como Produtores Culturais, estudantes e profissionais de áreas correlatas, além de pessoas interessadas no tema, o evento pretende debater a Gestão de Políticas Culturais, explicar as novas diretrizes da Lei Rouanet, além de apresentar o Programa BNB de Cultura edição 2010, que financia projetos culturais através do Banco do Nordeste.
Para tanto, a explanação terá, como palestrantes, a Chefe da Representação da Regional Nordeste do Ministério da Cultura (Minc), Tarciana Portella; o Assessor da Regional Nordeste do Ministério da Cultura (Minc), Jorge Edson Garcia; e a Assessora de Comunicação do Banco do Nordeste (Superintendência Estadual – PE), Ana Paula de Oliveira Teixeira.

Solidariedade. Com o objetivo de unir informação à ação, o acesso ao evento será permitido mediante a doação de 01 quilo de alimento não-perecível, a ser repassado ao Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC), com sede em Santo Amaro, Recife – PE.

As inscrições para a Palestra Projetos Culturais: Perspectivas e Incentivos deverão ser feitas com antecedência, até o dia 22 de Maio de 2009, na secretária da Faculdade Senac, em horário comercial, ou através do e-mail parla.evento@gmail.com, contendo informações relativas ao nome, telefone para contato, profissão e área de atuação. Os alimentos serão recebidos no dia do evento, na entrada do auditório do SENAC.
Endereço Senac – PE
Av. Visconde de Suassuna, 500. CEP: 50.050-540, Santo Amaro, Recife – PE
Outras informações pelo telefone: 81-3413-6655 ou pelo e-mail: parla.evento@gmail.com.

PROJETOS CULTURAIS

PROJETOS CULTURAIS

RECIFE RECEBE EXPOSIÇÃO DO PROGRAMA MONUMENTA

abril 8, 2008

O Recife recebe, a partir desta terça-feira (08), no hall do Paço Alfândega, a exposição do Monumenta, programa de recuperação do patrimônio cultural urbano brasileiro, executado pelo Ministério da Cultura e financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A exposição fica aberta ao público até 30 de abril, diariamente das 10h às 22h, e aos domingos das 12h às 20h.

A exposição do Monumenta já passou por várias cidades, como Salvador (BA), São Francisco do Sul (SC), Belo Horizonte (MG), Ouro Preto (MG), Diamantina (MG), Porto Alegre (RS), Pelotas (RS), Rio de Janeiro (RJ) e participou da 7ª Bienal de Arquitetura de São Paulo. Com 48 painéis, a mostra apresenta os resultados do Monumenta. No Recife, a Prefeitura já realizou a reforma do Cais da Alfândega, da Igreja da Madre de Deus e a requalificação de um conjunto de vias no entorno da rua da Moeda. Estão previstos, ainda, a recuperação de mais sete ruas e do edifício Chanteclair.

O Monumenta tem, também, financiamentos disponíveis para reforma de imóveis privados no Bairro do Recife. Em Olinda, as intervenções beneficiam locais como o Fortim do Queijo, o largo e igreja do Rosário, o Largo do Varadouro, a praça e igreja do Carmo, a rua Saldanha Marinho e o Largo da Conceição.

Balanço – As intervenções priorizam a conservação de sítios e conjuntos históricos urbanos. Ao todo, são 26 cidades beneficiadas com 168 obras; 15 municípios apoiados na elaboração de seus Planos Diretores e de Conservação, em parceria com os ministérios das Cidades e do Turismo; e 929 imóveis privados selecionados para financiamento de restauração.

O Programa também apoiou um total de 52 projetos de promoção de atividades econômicas em sítios históricos, bem como a formação de 34 mestres artífices em restauração, treinados no Centro Europeu de Veneza, na Itália, além de realizar seminários de treinamento para as equipes locais de gestão.

Educação – Foi ainda com apoio do Monumenta que se implantou o Sistema de Informação para o Patrimônio (SIP), foram selecionados três núcleos de educação profissional – no Rio de Janeiro, em Ouro Preto e Olinda – e se completaram nove Inventários Nacionais de Bens Imóveis, totalizando cerca de cinco mil edificações inventariadas. O Programa também disponibilizou recursos para 22 iniciativas de formação e capacitação profissional em 21 cidades, beneficiando 1.700 pessoas, além de promover a criação de 21 Fundos Municipais de Preservação.

Serviço
Exposição do Programa Monumenta
Onde: Hall do Paço Alfândega, Bairro do Recife
Quando: Abertura na terça-feira, 8 de abril, às 19h. Visitação até 30 de

HISTÓRIAS DE UM CANECO AMASSADO

janeiro 19, 2008

Por: Mariana Lira

Copo de Cristal. Assim é chamado, nos dias de hoje, o loteamento onde ficava o Caneco Amassado, o mais famoso e polêmico aglomerado de casas noturnas de Salgueiro, cidade do Sertão Pernambucano, localizada a 516 km da capital, Recife. A ironia, talvez, sirva para mostrar que a cidade foi limpa de um passado negro e que deve ser esquecido. Entretanto, após 60 anos do fechamento de suas portas, a história ainda suscita curiosidade e fascinação por parte das gerações mais jovens.

estreia-caneco-1-800xsite.jpg

De tão vivo no imaginário popular, o Caneco Amassado foi transformado em peça teatral, escrita e dirigida pelo ator e diretor Jandeir Dias e encenada pelo Grupo de Teatro Togarma. O espetáculo, que conta a estória (ou história?) de Tetéia pão, Josefa, Maria Tovia, Maria Chumbinho e Dulcinéia; Zé do Maxixe, Sitõe Ventão e Antoin Rufino, todos baseados em personagens reais, fala sobre sentimentos, como amor e ódio, e os benefícios, contrariedades e conseqüências de se prostituir há sessenta anos atrás, além de fazer uma leve crítica a atitudes moralistas e preconceituosas. Este ano, ele foi selecionado para participar do Janeiro de Grandes Espetáculos – JGE – mostra anual competitiva de espetáculos de teatro e dança com maior destaque em Pernambuco e, também, espetáculos de âmbito nacional e internacional..

O por quê do curioso nome e de sua extinção permanecem um mistério. O fato é que quando as mulheres do Caneco amassado adentravam as ruas de Salgueiro, a cidade ficava em polvorosa. Elas vinham escoltadas por policiais, pois, vistas como a banda podre do município, eram, também, odiadas pelos mais moralistas, e, por isso, não podiam misturar-se com aqueles que andam na linha. Principalmente por mexerem profundamente com toda a dinâmica da cidade, atiçando o imaginário dos homens e provocando grande ira nas mulheres. “As mulheres da sociedade não podiam deparar-se com as “meninas” do Caneco. Era uma falta de respeito para com as mulheres “de bem”. Por isso, os policiais iam com elas e as conduzia de volta para a reclusão”, conta Jandeir.

O local era o covil para onde as mulheres perdidas, meninas desvirginadas antes do casamento, com idéias à frente de seu tempo, libertárias ou libertinas seguiam para, então, caírem no esquecimento. Mesmo assim, vivendo à margem da sociedade, as mulheres do Caneco Amassado ficaram conhecidas por despertarem amores impossíveis, alguns, inclusive, com desfechos trágicos, e por impactarem a cidade com suas aparições sempre esfuziantes.

A mais conhecida, talvez, acontecia à época do Carnaval, quando Salgueiro era invadida por uma onda de alegria, ousadia e permissividade trazida pela passagem do Bloco do Caneco Amassado. Era quando as moças do Caneco deixavam o ostracismo e abriam caminho cidade à dentro, confrontando-se com olhares que mesclavam curiosidade, reprovação e indignação. No entanto, ao que parecia, sua proposta era a de quebrar tabus. Tanto é que, em um dos anos do Bloco, seu nome mudou para “Ideal”, uma provocação quanto ao status de impróprias e inaceitáveis.

O encanto e o fascínio exercido pelas mais de 40 mulheres do Caneco Amassado atingiam a grande maioria dos homens de Salgueiro. Oriundos de todas as classes sociais, eles procuravam por luxúria e prazeres mundanos, desprovidos dos tabus com os quais tinham de conviver em suas relações familiares e conjugais. Levar o filho a um dos estabelecimentos do Caneco era visto como uma espécie de rito de passagem. “Até mesmo por questões culturais, os pais levavam os filhos para se tornarem “homens” dentro do Caneco”, opina o diretor.

Assim como seu começo e vários aspectos de sua história, pouco se conhece sobre o fim de Caneco Amassado. Sabe-se, apenas, que algumas de suas mulheres continuaram a ofertar prazeres e luxúria aos homens afeitos ao sexo sem medidas e sem barreiras. Para Jandeir Dias, no entanto, a maior causa, talvez, tenha sido a urgência os novos tempos. “A informação e a chegada da televisão também influíram muito neste processo de decadência do Caneco. Hoje, ele permanece apenas no imaginário através dos mais velhos, em histórias do passado”.

estreia-caneco-6-800xsite.jpg

Discriminação. Quando as luzes do Caneco se apagavam e os homens iam-se embora, uma outra realidade abatia as mulheres daquele estabelecimento. Sem a maquiagem e a música, elas tornavam-se mulheres submetidas a uma realidade de exclusão e solidão, na qual sofriam com preconceitos de origem social e econômica. “É claro, que por ser teatro, eu tinha que abordar apenas o lado social, o lado que interessasse ao público, mas a realidade era bem mais forte; cheia de paradigmas e de preconceitos”, conta o diretor.

Contudo, apesar de tantos percalços, é dos tempos da ribalta, vividos dentro da grande história do Caneco Amassado, que suas personagens, ainda vivas, sentem falta. “Quando as entrevistei, notei que são infelizes. Perguntei a elas se queriam voltar ao passado do Caneco Amassado e as respostas foram sim. Embora sejam mulheres respeitadas hoje, mães de família, lembram com grande nostalgia e olhos úmidos o apogeu do Caneco Amassado”, comenta o autor.
A REALIDADE DE ONTEM ENCENADA NOS PALCOS MODERNOS
estreia-caneco-5-800xsite.jpg
Quando o Ator, Diretor e Produtor Cultural Jandeir Dias lançou o Grupo de Teatro Togarma, em 2006, já guardava, carinhosamente, a idéia de transformar as histórias que ouvia de seus avós sobre o Caneco Amassado em uma peça teatral. O fato de a história permanecer 60 anos praticamente esquecida foi apenas o empurrão do qual precisava. “Sempre achei injusto as pessoas não lembrarem dessa fase perfumada da cidade. Quando fundei o Grupo de Teatro Togarma, decidi que seria legal abordar essas histórias no teatro”.

O processo de construção da peça levou mais de um ano, tempo no qual o diretor-autor fez pesquisas de campo, entrevistando os personagens reais que guardam lembranças saudosas da ribalta do Caneco. As cenas principais, no entanto, “vieram em três dias. Mas o roteiro final, a arte final, o acabamento em si, tudo aconteceu na semana que antecedeu a estréia” lembra Jandeir, ainda impressionado com a forma como tudo aconteceu.

Para a realização do projeto, o Grupo contou apenas com o patrocínio do comércio local. “Embora não possamos ter acesso aos recursos do poder público, foi gratificante contar com o patrocínio do comércio local, que entrou nesse desafio com o grupo”

Expectativa – Após as primeiras apresentações, que aconteceram nos dias 11, 12 e 13 de Janeiro, no Clube Talismã, de Salgueiro, ficou comprovado o real interesse o qual o público nutre por esta passagem da história de Salgueiro. “Antes da peça, eu achava que as pessoas queriam esquecer, mas hoje eu vejo que não há preocupação em banir essa história”. Quando ao propósito do espetáculo, ele ressalta: “Espero despertar sensibilidade e emoção, alegria e tristeza. Espero aflorar sentimentos diversos, juntos em cada passo e em cada gesto que as personagens transmitem.”

Serviço:
O Caneco Amassado
Autoria e Direção: Jandeir Dias
Encenação: Grupo de Teatro Togarma (Salgueiro)
Data: 20/01/2007 (domingo)
Horário: 20:00
Local: Gerência Regional de Educação – G.R.E
Senhas limitadas à venda na G.R.E (87 – 3871 0480)

Feira de saúde e cidadania oferece mais de 50 serviços gratuitos

novembro 6, 2007

O Sesc Pernambuco realiza nos dias 7 e 8 de novembro, a 8ª edição do projeto Colméia – Feira de Saúde e Cidadania. Serão oferecidos mais de 50 serviços gratuitos à população como exames e consultas médicas, emi ssão de documentos, palestras, orientações. Nesta edição, a novidade fica por conta da inclusão da campanha de reconhecimento de paternidade, do atendimento urológico e dos minicursos promovidos pelo Sebrae. A feira irá funcionar das 8h às 17h, no Pátio da Basílica Nossa Senhora do Carmo, no centro do Recife.

Para a realização deste projeto, que já registra mais de 700 mil atendimentos no Recife, o Sesc conta com a parceria de diversos órgãos governamentais, não-governamentais e empresas privadas. O objetivo é unir forças a fim de promover ações de saúde e cidadania, nas áreas educativas e preventivas, que contribuam para a busca de uma melhor qualidade de vida e para o resgate da cidadania.

A cada ano, são registrados mais de 100 mil atendimentos entre os serviços de saúde, cidadania, além de apresentações culturais, que nesta edição ficará a cargo do Grupo de Teatro da Gente – Grudage, do Cabo de Santo Agostinho. Durante os dois dias eles farão intervenções, apresentações circenses, pequenas esquetes, contação de histórias infantis, sempre abordando a temática do meio ambiente.

Nos dias do evento, todas as centrais de atendimento do Sesc no Recife e Região Metropolitana estão fazendo a emissão ou renovação da carteira do Sesc gratuitamente. Basta que o comerciário leve um quilo de alimento não-perecível (que será revertido para o programa Banco de Alimentos) e apresente os documentos necessários (Identidade, CPF, carteira de trabalho, contra-cheque, comprovante de residência, cópia do GFIP e do GPS, além de 1 foto 3X4).

Petrolina – no dia 30 de novembro, o projeto Colméia segue para a cidade de Petrolina, na unidade local do Sesc, onde será realizado pelo 5º ano. 

(more…)

Avenida ganha nome de Miguel Arraes

outubro 11, 2007

O prefeito da capital pernambucana, João Paulo, sancionou, hoje (10), a lei que altera o nome de uma das vias do Recife. Agora a Avenida Norte passará a ser chamada de Avenida Norte Miguel Arraes de Alencar.

A modificação do nome é uma homenagem ao ex-governador do Estado e ex-prefeito de Recife, Miguel Arraes (falecido em 2006). É que a via foi construída no período de sua gestão.

MERCADO DE SÃO JOSÉ REVITALIZADO

outubro 2, 2007

Um dos mercados mais antigos do Brasil está pronto para receber os turistas e mostrar toda a riqueza cultural do povo recifense. Nesta quarta-feira (03), o prefeito do Recife, João Paulo, e a ministra do Turismo, Marta Suplicy, entregam, às 17h, as obras de requalificação turística do Mercado de São José. O prédio – tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – torna-se um equipamento turístico, com o fim das obras civis e adequações na infra-estrutura. Ao todo, foi investido R$ 1,63 milhão, fruto de uma parceria entre Prefeitura, Ministério do Turismo e Fundação Banco do Brasil. A obra está inserida no Complexo Turístico Cultural Recife/Olinda. Para comemorar a data, uma grande festa será realizada com shows de Woleide Dantas, Rogério Menezes, Paulinho Leite e Maciel Melo.

(more…)

Inscrições para 4º Pátio do Rock

agosto 27, 2007

Com a realização do 4º Pátio do Rock, que acontece entre os dias 22 e 25 de novembro, a Prefeitura do Recife, por intermédio da Secretaria de Cultura, amplia as ações do Pátio de São Pedro como espaço agregador das diversas vertentes musicais. O Espaço Cultural Pátio de São Pedro, instalada na Casa 4, Bairro de Santo Antônio, já está inscrevendo as bandas pernambucanas que tenham interesse em participar do festival, que se firma como pólo difusor de novas linguagens do rock na cidade.

Para as inscrições, que seguem até o próximo dia 24 de setembro, das 9h às 14h, cada banda deve entregar um CD contendo, entre outros itens, um mínimo de cinco músicas em formato mp3 e gravação com pelo menos 128kbps e 44.100Hz de qualidade. Outras informações sobre os critérios para as inscrições podem ser acessados no portal da Prefeitura do Recife.

Uma comissão julgadora divulgará no dia 5 de novembro as 16 bandas que irão compor os quatro dias de apresentações do Pátio do Rock. A cada noite, serão realizados quatro shows além da participação de um grupo de rock convidado.